Utilizada anteriormente como celeiro, a construção tem elementos novos e antigos convivendo em harmonia

Localizada em Jevíčko, na região de Pardubice, a casa passou transformações até chegar à forma atual, em um projeto que valorizou a história do edifício. | Fotos: BoysPlayNice.

A arquitetura e o design de interiores têm o poder transformar espaços e deixá-los irreconhecíveis após uma caprichada reforma. Este projeto, porém, se valeu da história de uma antiga propriedade rural na República Tcheca, reconstruída como um celeiro durante o  regime comunista do país, para transformá-la numa casa com o exterior “em ruínas”, mas com o interior moderno e aconchegante “Apesar da reforma anterior sem consideração, a construção não perdeu nada de sua grandeza. Pelo contrário, a maneira como está situada, como se eleva ao céu e a forma como sua matéria-prima resistiu ao tempo provaram ser da mais alta qualidade”, contam Jan Hora, Barbora Hora e Jan Veisser, do studio ORA, responsáveis pela renovação concluída este ano. 

“Qualquer tentativa de reparo tradicional significaria perder o caráter original da ruína. Nossa proposta foi então consertar o estado das ruínas em romântico e entrar na casa de novo.” Para isso, os arquitetos mantiveram o aspecto externo da construção, com algumas novas aberturas para entrada de luz natural e integração dos espaços, e demoliram as paredes internas, retomando o layout original do edifício, com dois andares ao invés de três. As vigas de madeiras retiradas no processo foram reinseridas e utilizadas no teto e nas treliças. “A maior parte do material permaneceu no lugar, apenas foi reorganizado.”

O estar e a cozinha ficam no térreo, onde um generoso pé direito evidencia a grandeza da construção | Fotos: BoysPlayNice.

O novo e o velho convivem em harmonia, em um entrelaçamento visual proposital. “As janelas não se encaixam precisamente nas aberturas da parede velha, e em alguns lugares, ela também está presente no interior. O projeto é o nosso manifesto de como é possível tratar casas antigas. Não é necessário perder a autenticidade da velhice. Não é preciso demolir, nem reconstruir dogmaticamente. Mesmo neste caso, é possível construir de maneira econômica com materiais modernos e atingir os objetivos necessários.”

As suítes ficam localizadas no segundo andar, com janelas voltadas para o interior da construção e também para paredes de tijolos originais, fazendo um contraponto dos materiais novos com os antigos | Fotos: BoysPlayNice.

Era uma vez uma casa abandonada

No livro Alguém passa por aqui e deixa alguma coisa, concebido em parceria com Baba Vacaro, Marina Linhares dá uma amostra prática – e poética – de seu raciocínio criativo

Memórias e modernidade em casa na serra fluminense

O estilo contemporâneo, a valorização do terreno e o resgate do passado se alternam no projeto do escritório carioca Ao Cubo Arquitetura

Mistura estilos e muita cor nesta casa de férias na Índia

Peças assinadas e um design de interiores arrojado, cheio de personalidade, neste projeto do FADD Studio