Entre grafites, papéis de parede e lambe-lambes, ilustrações de Attilio e Gregório ajudam a conferir personalidade ao projeto

 Tecidos diferentes, materiais contrastantes, cadeiras feitas com pneu reciclado, com tricô de lã, arquibancadas de pastilhas…  Misturas que talvez na teoria não acontecessem, na prática se mostraram acertadas.  | Fotos: Marcos Cimardi e Ricardo Bassetti.

Como representar a alma da América Latina dentro de um projeto corporativo? Esta foi a principal pergunta que a Pitá Arquitetura teve que responder ao desenhar a sede latina de uma empresa de streaming em São Paulo. “O conceito que a gente criou foi falar sobre os contrastes desta região, como a natureza versus o urbano, o clássico versus o moderno, e misturá-los dentro dos ambientes”, conta o arquiteto Nico Salto del Giorgio, responsável pelo projeto, em entrevista ao Janela.

Estas misturas são visíveis em cada um dos três andares do escritório, distribuídas pelos diversos espaços de trabalho, salas de reunião, call e silêncio, pontos de encontro, nos banheiros e até mesmo na sala de cinema. Cada espaço tem uma narrativa e contrastes próprios, como, por exemplo, o bar que imita uma piscina de ponta cabeça. Inspirado nos hotéis clássicos dos anos 1960, o ambiente traz móveis de área externa combinados com um teto azul – com direito até a escadinha invertida – bancos pastilhados e uma “cascata de água” feita com pastilhas de vidro.

Neste projeto surgiu também uma parceria inusitada, porém acertada, entre duas marcas: a Lady e a Donatelli. “A gente propôs para a Lady de, ao invés utilizarmos os revestimentos deles nas salas de reunião, eles deram a tecnologia e a gente conseguiu colocar toda a performance acústicas nas paredes revestidas com os prints da Donatelli”, conta Nico. | Fotos: Marcos Cimardi e Ricardo Bassetti.

“A gente quis mesclar elementos tradicionais com ultramodernos, coisas que remetem à casa tradicional e também às diferentes culturas que fazem parte da América Latina.” Os painéis de grafite, criados por cerca de 20 artistas diferentes, ajudaram a dar esse tom. “Temos os clássicos, um feito com tinta a óleo e um mural com 40 metros lineares feito com colagem de papel e folhas de ouro, o maior feito pelo artista até então.”

Escolher um entre os ambientes é quase como optar pelo filho preferido. “Um que eu amo é a primeira sala de reunião que a gente fez com sala com forro de palha, que nem é a sala principal e nem a maior. Foi onde a gente testou um artesão fazer um forro acústico de palha com um desenho super moderno, feito por nós, mas com a técnica utilizada ao fazer os cestos de palha amazonenses. A essência da Pitá hoje, o que a gente faz na maioria dos projetos, sai muito dessa sala.” Uma estampa tropical com tucanos nas paredes, uma mesa de madeira e cadeiras de escritório moderninhas arrematam o décor.

“É uma empresa super inclusiva, então a gente brincou muito também nos banheiros. Cada um tem uma comunicação visual diferente, com um lambe-lambe que cobre paredes e forro, com elementos da América Latina que não combinam, como, por exemplo, o Copan, o Masp e diferentes araras.  | Fotos: Frankie Pappas e ©Dook+©Visi.

Mas e o futuro? Será que é um projeto que se encaixa no “novo normal”? Nico acredita que sim. “Como fazer um espaço em que a pessoa tem vontade de ir? Que seja gostoso, confortável… Em caso de um escritório como esse, mais experiencial, com biofilia, com cor, arte, a pessoa consegue decidir como e onde ela quer trabalhar. É um projeto muito generoso também em termos de distância. As mesas são maiores que o padrão normal e mesmo quando estão todas ocupadas, os funcionários ficam longe uns dos outros. Quando a gente fez esse projeto, entre 2018 e 2019, nem sonhava no que está acontecendo hoje, mas curiosamente a maioria dos pisos são fáceis de higienizar. A gente usou carpete apenas embaixo das estações de trabalho, por uma questão acústica, e um modelo quase careca, que imita madeira. A circulação é larga e os pontos de encontro são bem abertos. Acho que ele vai funcionar bastante bem, cabe elementos de proteção, mas estrutura principal funciona bem.”

Experiências arquitetônicas cruzadas

Em seu projeto para a Sala de Espelhos, sala de leitura da Editora Olhares na Modernos Eternos SP, Pitá Arquitetura inverte ponto de vista com piso espelhado e móveis dispostos no teto, buscando refletir (literalmente) sobre as proporções da Casa Modernista

Janela #6: Como serão os espaços corporativos no pós-pandemia?

Para conversar sobre a volta presencial aos escritórios, convidamos dois especialistas em projetar espaços corporativos: os arquitetos Fernando Vidal, sócio-diretor da Perkins and Will no Brasil, escritório global presente em diversos países pelo mundo, e Nico Salto del Giorgio, da Pitá Arquitetura, que tem sedes em São Paulo e em Paris

Casa “camuflada” em floresta na África do Sul

Localizada em uma reserva natural em Waterberg, a construção se encaixou perfeitamente entre as árvores que já existiam no terreno