Por falar em CasaCor

Ambientes inteiros no mesmo tom, tetos coloridos, meias paredes e a volta dos boiseries. São as tendências de uso de cor identificadas por Fernanda Figueiredo, da Coral, nas edições de CasaCor do ano passado em todo o Brasil. Ela explicou também como o extenso estudo de tendências da marca para definir a cor do ano e seus desdobramentos evoluiu ao longo da década e demonstra mudanças de moods, contextos e comportamentos. E lembrou uma máxima muito verdadeira, atribuída a Maurício Arruda: “Cor é coragem”.

O que veio para ficar

Já sabemos, a casa voltou a ser protagonista. E as previsões do que veio para ficar apareceram em diversas vozes.

Para Andrea Janér, da consultoria de conteúdo Oxygen:

  • homeoffice eterno para quem quiser e puder e a oportunidade de estabelecer uma rotina no interior;
  • modelos híbridos de homeschooling
  • cantos instagramáveis para lives e conversas em vídeo e o retorno da televisão;
  • lares multigeracionais, em que vale repensar questões de privacidade e áreas de convivência;
  • automação mais democrática das casas com a proliferação de assistentes de voz

Na visão de Gary Chang, à frente do escritório Edge Design em Hong Kong:

  • O hall de entrada, como uma mesquita, para limpar mãos e pés, se purificar do mundo exterior
  • A atenção a espaços de trabalho para todos os membros da família.

E para Carol Scolforo e Angelita Scardua, do projeto Hestia:

  • O fim do living integrado e mais ambientes separados, para garantir privacidade entre os moradores.
  • E claro, a cozinha como protagonista.

Oportunidades na tormenta

Lauro Andrade, diretor da DW e da High Design, deu um panorama de oportunidades no mercado atual e chama atenção para um momento único para o design de interiores, apesar dos pesares, listando aumento dos créditos para imóvel em relação ao ano passado, juros mais acessíveis, residências super utilizadas e o mercado de adequação das práticas e protocolos sanitários e adaptações com baixo investimento. “O designer de interiores é um profissional superqualificado para o momento. Ele pode ser o intérprete das boas práticas, o projetista e consultor no processo de reabertura dos negócios e de adaptação dos lares.”

E a responsabilidade de se repensar

“Temos que pensar no design de interiores com a projeção e concepção de espaços vitais. Hoje em todos os cantos da Terra o design não pode mais se dar ao luxo de ser obtuso, elitista, voltado para si ou separado do mundo. Ele precisa ser onipresente, estar diretamente ligado à realidade das nossas vidas. Podemos observar uma proximidade do design com o papel de cura, cuidado, atendimento, zelar pelo bem-estar pelo viver saudável, sustentável, digno.” Sebastiano Raneri, designer italiano.

Aliás…

Uma aula sobre negócios “ambidestros” em que criatividade e gestão são fundamentais, como é o caso de um escritório de design, e o DNA de organizações que se reinventam continuamente, foi uma espécie de introdução de Luca Borroni, diretor da escola de negócios Brain, a um curso Master em parceria com a ABD, com a primeira turma a partir de março de 2021.

Design de vida

Com a startup UPik, Daniel Alves colocou trailers para circular a cidade oferecendo projetos de design de interiores. Precisou otimizar o processo com ferramentas adequadas e atendeu mais de 4.000 clientes em 7 países. Mas mesmo com essas credenciais, ele não acredita que a tecnologia possa substituir esses profissionais, e alerta para a responsabilidade envolvida na atividade. “Se design é a concepção de um produto e o produto são os interiores onde a vida acontece, a gente está falando de design de vida.”

Floresta office?

Mas se parecemos parados no tempo ultimamente, o que soaria futuro distante também pode estar mais próximo. Ricardo Cardim, que já plantou dezenas de suas Florestas de Bolso em São Paulo, defende de um paisagismo interativo, que evite a relação estéril com as áreas verdes. Ele propôs o conceito de espaços de trabalho em áreas verdes preparadas com tomadas, wifi e mobiliários adequados.

E vem mais por ai

A designer Camila Fix anunciou para esse ano, ainda com data a definir, a segunda edição do Nossa Casa, evento com curadoria sua e do holandês Jorn Konijnem que designers e artistas como Guto Requena, Plataforma 4, Inês Schertel, Ronald Sasson, Ricardo Ribenboim, Regina Silveira, Giorgio Bonaguro, Andrea Bandoni e Guto Lacaz discutem o momento em que estamos vivendo a partir desse espaço nosso de cada dia. Hoje ainda mais.

cozinhas casa cor

Cozinhas: o coração da casa nunca foi tão prestigiado

6 espaços de Casa Cor assinados por profissionais em quatro regiões do país

Anhangabaú, o novo Minhocão da metrópole, por Ricardo Cardim

Artigo escrito pelo botânico e paisagista em seu site Árvores de São Paulo

Criar, reconectar, divertir ou cuidar: qual dessas paletas vai colorir sua casa?

Com base num estudo de cores e tendências, a Coral criou paletas que representam diferentes personalidades. Descubra a que mais combina com você